Roubadas estátuas indígenas de Igreja perto do Vaticano

Prefeito Paolo Ruffini fala sobre o roubo de estátuas indígenas da Igreja de Santa Maria em Traspontina

D.R.

No início da manhã desta segunda-feira, (21/10) desconhecidos retiraram do interior da Igreja de Santa Maria in Traspontina e jogaram no rio Tibre as estatuetas de madeira que representavam mulheres indígenas grávidas usadas durante a cerimônia no Vaticano, no dia 4 de outubro passado, na presença do Papa Francisco. O ato foi gravado pelos autores que depois publicaram nas redes sociais.

Respondendo a um jornalista durante o briefing desta segunda-feira na Sala de Imprensa sobre o Sínodo para a Amazônia, o prefeito do Dicastério para a Comunicação, Paolo Ruffini, comentou o episódio:

“Já repetimos várias vezes nesta sede que aquelas estátuas representavam a vida, a fertilidade, a mãe terra. É um gesto, parece-me, que contradiz o espírito de diálogo que deve sempre animar a todos. Não sei que outra coisa poderia dizer, a não ser que foi um roubo, e talvez fale por si só”.