‘Campo de Trabalho’ dinamizou comunidade paroquial do Caniçal e recebeu visita de D. Nuno Brás 

D.R.

Terminou na passada segunda-feira, dia 12 de agosto, o ‘Campo de Trabalho’ que estava a decorrer na Paróquia do Caniçal e que, uma vez mais, envolveu um grupo de leigos, formado na sua maioria por jovens e também por alguns adultos. O centro da maior parte das atividades desenvolvidas este ano, as quais acabaram por dinamizar, como se esperava, a comunidade local, foi a Escola Básica do 1º Ciclo com Pré-escolar.

Foi aí os participantes receberam, no passado dia 10 de agosto, a visita de D. Nuno Brás, Bispo do Funchal, que deixou a todos palavras de gratidão e de incentivo.

Recorde-se que o objetivo deste campo é proporcionar aos participantes de vários grupos etários, uma oportunidade de “viver, durante 12 dias, uma experiência de vida comunitária, de partilha da fé e da vida em família”.

Como é habitual foram promovidas atividades de cariz socio-cultural-pastoral, muitas delas envolvendo a comunidade local. E para perceber melhor a importância que este ‘Campo de trabalho’ teve e as saudades que ele já deixa, publicamos o testemunho que nos fizeram chegar da Sandra Sousa.

“De 1 a 12 de agosto fomos contagiados pela fé, pelo amor, pela partilha da alegria”

Quis o Espírito Santo que este ano o Campo de Trabalho se realizasse na nossa paróquia do Caniçal. 

As palavras tornam-se escassas querendo expressar a gratidão da Comunidade que, a pouco e pouco, foi sendo conquistada por esta equipa jovial, fraterna, alegre e testemunha fiel do amor de Deus entre os Homens. 

A cada dia, o número de cadeiras aumentava em redor de Nossa Senhora para a recitação do terço. Vinham de cá e de lá, daqui e de além curiosos, reticentes mas movidos por um apelo que os levava à união, à partilha, à escuta da Palavra de Deus. 

Pouco demorou para que fossem cativados…

No entardecer de cada jornada a Eucaristia preenchia o nosso viver, fazia-nos refletir na nossa existência, no chamado de Cristo em cumprirmos a nossa missão de forma consciente e digna, baseada nos seus ensinamentos, para que a nossa vida tenha sentido e faça sentido não só para nós para todos aqueles a quem testemunharmos o seu Amor e a sua verdade. 

De 1 a 12 de agosto fomos contagiados pela fé, pelo amor, pela partilha da alegria! E a alegria é dom de Deus.  

Recordando Dom Bosco que afirmava “A vida é um dom, um dever, um talento a desenvolver, um empenho, uma missão a realizar.”, que dizer? Vós cumpris no mundo aquilo que brotou do coração do vosso patrono. Com as vossas vidas, juntais os vossos talentos e com audácia cumpris uma nobre missão.

Desta vez, foram as famílias das gentes do mar que tiveram este privilégio: receber-vos, acolher-vos e vivenciar os vossos dons, talentos e virtudes! 

Bem-hajam! Cativastes, e quanto, as nossas crianças, seduzistes os nossos jovens, alegrastes os nossos adultos, encantastes os nossos idosos com as vossas visitas que, emocionados, não vos queriam deixar partir! 

Ninguém vos queria deixar partir!

As redes lançadas ao mar já eram tecidas lado a lado por todos e por cada um. A união era sentida, a alegria era notória, a satisfação era grandiosa, a gratidão era imensa. 

Quanta paz, quanta serenidade trouxeram-nos os belos cânticos da Eucaristia…quanta luz, quanta vida, tantas sementes nos foram lançadas nas homilias! Bem-hajam!

Pedimos a Deus, de todo o coração, que a vossa missão nunca se acabe, que muitos mais vos conheçam e que sintam a alegria imensa que trazeis convosco, que nos doastes e invadidos por essa partilha, sejam marcados pelos dons do Céu, por esse amor que nos sacia a todos, essa partilha maravilhosa que nos marcou o verão de 2019 e as nossas vidas, para sempre!

Caniçal, 13 de agosto de 2019