D. Nuno Brás celebra hoje o seu aniversário natalício

12 momentos do Bispo do Funchal

Foto: Duarte Gomes

Hoje o bispo do Funchal está de parabéns pelo seu 56º aniversário natalício.

D. Nuno Brás da Silva Martins nasceu no dia 12 de maio de 1963, sendo natural da paróquia do Vimeiro, concelho da Lourinhã, Diocese de Lisboa.

É Doutorado em Teologia Fundamental (1999), pela Pontificia Università Gregoriana (Roma).

Foi ordenado presbítero pelo Cardeal Patriarca D. António Ribeiro, na igreja de Santa Maria de Belém (Mosteiro dos Jerónimos), a 4 de julho de 1987.

Em 2011, a 10 de outubro, foi eleito pelo Papa Bento XVI Bispo titular de Elvas e Auxiliar do Patriarcado de Lisboa, tendo sido Ordenado em 20 de novembro desse mesmo ano.

A 12 de janeiro de 2019 foi nomeado pelo Papa Francisco como novo bispo da Diocese do Funchal sucedendo a D. António Carrilho.

Desde a sua entrada solene na diocese, a 17 de fevereiro, que D. Nuno tem feito jus às suas próprias palavras quando dizia que vinha para a ilha “sem agenda”, para dialogar e conhecer a diocese sem ficar “à espera” na sua residência oficial.

Hoje recordamos alguns dos momentos que já constam da história destes quase três meses que D. Nuno Brás leva à frente dos destinos da Diocese do Funchal.

Servir como madeirense

Foto: Duarte Gomes

Eram 16.30 horas do dia 16 de fevereiro quando o ‘Teófilo Braga’ aterrou no Aeroporto da Madeira. A bordo vinha o novo Bispo do Funchal que instantes depois, na sua mensagem dizia aos madeirenses que vinha “para servir” e que iria “estar sempre disponível para escutar e agir para o bem de todos os que habitam estas ilhas, não como estrangeiro mas como madeirense”.

Igreja que “ouse ser”

Foto: Duarte Gomes

A 17 de fevereiro a Sé do Funchal encheu-se para a tomada de posse de D. Nuno Brás como 33º Bispo do Funchal. Da homilia ficou o desafio de uma “Igreja diocesana que não se limite a aparecer mas que ouse ser, cada vez mais e sempre, testemunha, presença de Cristo no mundo”.

Consagração do seu ministério a Nossa Senhora do Monte

Foto: Duarte Gomes

No dia seguinte ao tomada de posse, dia 18 de fevereiro portanto, D. Nuno Brás subiu à paróquia do Monte, onde presidiu a uma Eucaristia de consagração do seu ministério à padroeira da Diocese e ao Beato Carlos de Áustria.

Reunião de trabalho a norte

D.R.

Conhecer a realidade das paróquias do norte levou D. Nuno a reunir, logo a 19 de fevereiro, com os padres dos Arciprestados de Santana e de São Vicente/Porto Moniz. Estes sacerdotes lidam sobretudo com populações envelhecidas onde quase não nasce ninguém. Os números falam por si: “em 40 funerais fazem-se 10 batizados”. Os jovens são poucos e chega a uma altura ou vão estudar para fora ou emigram.

Visita ao Externato de São Francisco de Sales

Foto: Duarte Gomes

No dia 1 de março, D. Nuno Brás cumpriu a promessa que fez no dia da sua chegada e visitou o Externato de São Francisco de Sales, em Gaula. Eram deste estabelecimento de ensino as crianças que o receberam no Aeroporto da  Madeira.

Visita ao EPF em sinal de “proximidade”

Foto: Duarte Gomes

A 6 de março, uma quarta-feira, D. Nuno Brás visitou o Estabelecimento Prisional do Funchal. Fê-lo por acreditar que “é importante, da parte do bispo, dar este sinal de proximidade e visitar pessoas que fizeram sofrer, mas que também estão a sofrer (…)”.

Porto Santo recebeu D. Nuno durante cinco dias

Foi a sua primeira visita pastoral. Cinco dias – 27 de março a 1 de abril – dedicados ao contato as comunidades paroquiais da Piedade e do Espirito Santo. Uma visita que disse querer que fosse “a visita de Cristo bom pastor” e que “todos nos sentíssemos mais unidos a Jesus e mais unidos uns aos outros”. No final da visita D. Nuno dizia que tinha estado “numa pequena ilha com gente de coração grande”.

Homenagem a D. António Carrilho

Foto: Duarte Gomes

A Diocese do Funchal decidiu homenagear o bispo Emérito do Funchal, D. António Carrilho pelos seus 77 anos, mas sobretudo pelos 12 anos que esteve à frente da Diocese. Assim, nos dias 10 e 11 de abril, com a presença de D. Nuno, houve a apresentação do livro “Memória e Gratidão”, a celebração de uma Eucaristia na Sé e um jantar no Colégio de Santa Teresinha.

Mensagem da Páscoa lembrou ‘irmãos da Venezuela’

Foto: Duarte Gomes

Na sua primeira mensagem da Páscoa o Bispo do Funchal dirige-se, de uma forma particular aos “irmãos da Venezuela” com“um pensamento de solidariedade para os que, naquele país, resistem em condições desumanas e não desistem de esperar num futuro melhor com a ajuda da fé. Queremos estar com eles, e rezar com eles e por eles. Cristo ressuscitou.”

Combater as pestes que continuam a existir

Foto: Duarte Gomes

A 1 de maio D. Nuno presidiu à Solenidade de São Tiago Menor que incluiu a Procissão do Voto, que este ano partiu da Sé rumo à igreja do Socorro e à Eucaristia que se lhe seguiu. Numa alusão aos motivos que levaram a cidade a pedir proteção a São Tiago o prelado frisou que continuamos hoje a precisar combater as “tantas pestes” que continuam a existir. “Pestes não menos graves (pelo contrário), que nos retiram o sentido da existência, que fecham os horizontes da nossa vida.”

Dia Diocesano do Acólito

Foto: Duarte Gomes

A paróquia dos Álamos recebeu no dia 25 de abril, perto de 400 acólitos de 42 paróquias da Diocese do Funchal, que ali se reuniram para participar nas atividades do Dia Diocesano do Acólito. D. Nuno presidiu à Eucaristia que encerrou o programa e desafiou os acólitos “a mostrar que Jesus está sempre no meio de nós” em qualquer circunstância da vida.

Dedicação do Santuário de N.ªS.ª de Fátima – Cabo Girão

Foto: Duarte Gomes

Foi a primeira cerimónia de Dedicação do novo Bispo do Funchal. Aconteceu no Cabo Girão, a 8 de maio, com D. Nuno Bás a dedicar o Santuário a Nossa Senhora de Fátima. O espaço foi alvo de intervenção para proporcionar renovadas condições a quem ali se desloca, em peregrinação.