Moçambique: Bispos dizem que “Ciclone Idai causou dor e luto e destruiu 60 igrejas”

D.R.

A Conferência Episcopal de Moçambique (CEM) afirma que, na sequência do flagelo do Ciclone Tropical Idai que afectou severamente algumas regiões do Centro do País, causando dor e luto e um rasto de destruições, também a Igreja registou a destruição de paróquias, comunidades católicas, centros e escolas.

 Estas informações foram avançadas ao Vatican News pelo Secretário-geral da Conferência Episcopal de Moçambique, Dom Luiz Fernando Lisboa, que também refere que, só em Sofala, há registo de cerca de 60 igrejas destruídas parcial ou totalmente.

Maior preocupação é salvar vidas, ajudar as famílias afectadas

Entretanto, não obstante a destruição de vários edifícios e infra-estruturas da igreja, Dom Luiz Lisboa sublinha que neste momento a maior preocupação é a vida das pessoas afectadas, e não necessariamente os danos materiais causados pela catástrofe natural.

O Secretário-geral da Conferência Episcopal de Moçambique, dirigindo-se às famílias e pessoas afectadas, lançou um apelo para que ergam a cabeça, que os moçambicanos se unam e lutem para o bem comum.

Mais de 600 mortos confirmados

Relativamente à campanha de solidariedade lançada pela Igreja e instituições católicas, o prelado afirma que o apoio tende a chegar ao País vindo do estrangeiro, mas também internamente.

De referir que dados apontam para pouco mais de 600 mortos e milhares de feridos em consequência da fúria dos ventos e chuvas provocadas pelo Ciclone Idai há duas semanas, no Centro de Moçambique.

Hermínio José – Maputo, Moçambique