D. António Carrilho: Mensagem de saudação ao novo Bispo do Funchal

D. António entrega o báculo a D. Nuno Brás | Sé do Funchal, 17.02.2019 |Foto: Duarte Gomes

Saudação ao novo Bispo do Funchal

D. Nuno Brás da Silva Martins

1. Foi no dia 19 de Maio de 2017, há cerca de doze anos, que aqui mesmo, nesta Catedral, sucedendo a D. Teodoro de Faria e celebrando a Ascensão do Senhor, eu assumi, por nomeação do Papa Bento XVI, o ministério de Pastor da Comunidade Diocesana da Madeira e Porto Santo. Foi o assumir, à luz do mistério da Ascensão, o mandato de anunciar o Evangelho confiado por Jesus aos Apóstolos, e neles a toda a Igreja (“Ide e anunciai…”), assegurando-lhes a Sua presença e assistência até ao fim dos tempos. Com alegria e confiança assumi, até hoje, essa missão que, então me foi confiada.

2. Entretanto, dando cumprimento ao disposto no Can. 401 do Código de Direito Canónico, ao completar 75 anos de idade apresentei ao Santo Padre o meu pedido de renúncia ao ofício de Bispo Diocesano do Funchal. Pediu-me mais um ano de condução da Diocese, num gesto de confiança que muito agradeço, e que aguardasse até à nomeação de um sucessor.

Chegou essa hora, no dia 12 do passado mês de Janeiro, com a nomeação de D. Nuno Brás da Silva Martins, e desde logo marcada a sua entrada solene e tomada de posse, para hoje 17 de Fevereiro. A ele dirigi, de imediato, com muita amizade e consciência de membros do mesmo Colégio Episcopal, a minha jubilosa e cordial saudação, que hoje repito, nesta grande Assembleia: seja bem-vindo, Sr. D. Nuno, à querida Diocese do Funchal, como seu Pastor e Guia, 33º Bispo na sucessão daqueles que a serviram nessa missão, ao longo dos 500 anos da sua história, celebrados em memória agradecida, em Junho de 2014 (1514-2014). Bem-vindo D. Nuno Brás e que Deus o abençoe e cumule das maiores graças, nesta sua nova missão.

3. Ao longo de quase 12 anos, aqui exerci o meu ministério, com empenho e alegria, vivendo momentos muito felizes, em grande proximidade com o nosso bom povo da Madeira e Porto Santo, e procurando assumir, do mesmo modo, as exigências, dificuldades e sacrifícios, inerentes à missão.

Foi tempo de graça, marcado por inúmeras Bênçãos de Deus, na proposta e vivência de programas pastorais, preparados em profunda comunhão desta Igreja Particular com a Igreja Universal (Ano Paulino, Ano da Vida Consagrada, Ano da Misericórdia…) e na atenção às nossas realidades e necessidades locais. Especial referência nos merecem a Visita da Imagem Peregrina de Fátima, durante sete meses, em 2009/2010, e as comemorações dos 500 anos da criação da Diocese (12 de Junho de 2014) e da Dedicação desta Catedral (18 de Outubro de 2017), preparadas nos programas pastorais trienais.

4. Vem o Sr. D. Nuno Brás em pleno Ano Missionário e com o lema “Na Tua Palavra” (In Verbo Tuo), um lema que nos remete para o texto de Lc 5,1-11 e nele se articula, de forma muito direta, com o “Faz-te ao largo” do lema episcopal, que eu escolhi. São Lucas fala-nos da noite perdida no mar por Simão Pedro, Tiago e João, sem nada pescarem. As palavras de Jesus, inspirando coragem e confiança, lançaram-nos de novo ao mar e apontaram para um novo projeto de vida e serviço: é grande o mar do mundo ao qual eles são chamados e enviados (apóstolos) como “pescadores de homens”, deixando tudo e seguindo Jesus, confiantes, com ousadia e sem medo (“não temas”), porque Jesus está com eles.

“Faz-te ao largo” e “Na Tua Palavra” são os nossos lemas. Eu fiz-me ao largo e outros antes de mim, recebendo o legado uns dos outros e entregando-o, em profunda comunhão fraterna e sentido de missão; agora é o Sr. D. Nuno que continua a lançar as redes nesta terra de belas tradições cristãs e compromisso missionário de muitos, entre nós e em terras de emigração, para onde transportaram o sentido da fé e da esperança dos seus pais.

5. Senhor D. Nuno Brás, novo Bispo do Funchal, foi com grande emoção que lhe entreguei o Báculo da Missão, o Bordão de Cristo Bom Pastor, diante da Assembleia aqui reunida e de quantos nos acompanham pela RTP-Madeira e pelo PEF-Posto Emissor do Funchal. Nesta entrega do Báculo eu coloco em suas mãos a continuidade da nossa missão apostólica, nesta Diocese do Funchal, olhos postos no presente e no futuro, com as exigências da novidade evangélica do mundo atual e das pessoas do nosso tempo, contando sempre com a ajuda de Deus (“Não temas”), o seu próprio entendimento, as suas capacidades, a ajuda do presbitério e de todo o Povo de Deus.

Mais uma vez vos saúdo, Sr. D. Nuno Brás, pedindo as maiores bênçãos de Deus e dos nossos padroeiros, Senhora do Monte e S. Tiago Menor, para a vossa vida pessoal, e os melhores frutos de fé, de esperança e serviço fraterno, para toda a atividade pastoral, que venha a desenvolver. Fazendo-se ao largo para esta “Pérola do Atlântico”, é na Palavra de Deus que lançará as redes e com a Palavra de Deus, no coração e nos gestos, apontará para um novo espírito de santidade, numa Igreja em saída, acolhedora e anunciadora.

Em profunda comunhão e disponibilidade episcopal, felicito-o com muita amizade. Parabéns! Felicidades! Benvindo! Aqui tem esta nossa querida Diocese do Funchal.

Funchal, 17 de Fevereiro de 2019

† D. António José Cavaco Carrilho, Administrador Apostólico