Madre Virgínia permanece viva

Celebração dos 90 anos da morte da Madre Virgínia | Igreja de Santo António, 17.01.2019 | Foto: Duarte Gomes

Por Conceição Freitas

Aquela pessoa humilde que gostava de viver nos recônditos do seu espírito, longe dos olhares de todos, para melhor poder contemplar e desagravar o Coração de Jesus e de Maria e que na passada quinta feira a sua morte fez noventa anos, afinal não morreu!

Nesse dia, pelas 18.30, o Grupo de oração pela sua beatificação iniciou a recitação do Santo Rosário. Entretanto, esta rica saudação a Maria foi engrossando o tom e aumentando o volume pelas vozes das pessoas que vinham para participar na celebração, nesta Igreja, lindamente ornamentada.

A Igreja foi enchendo, enchendo, ficou repleta! Muitos vindo de longe e outros de perto quiseram estar presentes porque afinal a Madre Virgínia está viva no coração dos netos e dos bisnetos dos seus contemporâneos. Ela não morreu!

Aguardávamos com ansiedade a entrada do Senhor Bispo D. António Montes e talvez de D. António Carrilho, não havia certezas. Porém, o primeiro a chegar foi D. Teodoro Faria. Que surpresa agradável!

Foi com grande alegria que o povo recebeu os três Bispos, tais reis Magos no Altar, para adorarem o Deus que se fez Homem, presente na Eucaristia e reconhecerem que a Madre Virgínia foi a mensageira eleita para difundir a devoção ao Imaculado Coração de Maria.

No Altar, os Bispos estiveram ladeados pelo Senhor Cónego Carlos Duarte, e quatro Sacerdotes que com eles concelebraram.

Na homilia, o Senhor Bispo D. António Carrilho explicou a Palavra que penetrou na Madre Virgínia “espada afiada” transformando-se, pela prática das virtudes, em testemunho de santidade.

O Grupo Coral encheu o espaço com as suas vozes maravilhosas!

O cortejo do Ofertório composto por crianças, jovens e adultos, trajando camisolas brancas com o logotipo dos Corações de Jesus e Maria, levou ao celebrante o fruto do “trabalho do homem”.

Esta Eucaristia teve a presença da Madre Virgínia. Esta afirmação vem do facto de três pessoas terem recebido graças por sua intercessão. Duas foram agradecer o emprego há muito esperado e neste dia conseguido e outra à espera do resultado da avaliação que fizera para poder exercer medicina em Portugal, também soube que entre muitas avaliadas e poucas aprovadas, estava ela aprovada. Graças a Deus diziam estas pessoas! Foi através da Madre Virgínia!  

Afinal, ela continua entre nós, não morreu!

O Grupo de Oração pela beatificação da Madre Virgínia agradece a Deus e a todos os que colaboraram nesta maravilhosa e inédita celebração.