D. Nuno Brás ao Vatican News: “Já me sinto madeirense”

Entrevista à Vatican News de D. Nuno Brás, até agora bispo auxiliar do Patriarcado de Lisboa, nomeado pelo Papa como novo bispo da Diocese do Funchal.

D.R.

Por Domingos Pinto

“É uma responsabilidade que é sempre partilhada de uma forma muito particular com os sacerdotes, e penso fazê-lo neste sentido de partilha e corresponsabilidade”.

É desta forma que D. Nuno Brás sublinha ao portal da Santa Sé o novo desafio que o Papa lhe confiou ao nomeá-lo, no passado dia 12 de janeiro, como bispo do Funchal.

O prelado, que sucede a D. António Carrilho, já dirigiu uma saudação à sua nova diocese, e diz acolher a sua nomeação “com muita disponibilidade” e  “com uma atitude de fé”.

“Já me sinto madeirense. Quero dizê-lo com toda a clareza”, refere D. Nuno Brás, que destaca “as comunidades cristãs que na Madeira dão testemunho do Evangelho e louvam o Senhor com toda a alegria “.

O prelado, natural do Vimeiro, no Concelho da Lourinhã, aponta neste contexto como grande prioridade “a tarefa de evangelizar, a tarefa de sermos testemunhas do Evangelho”, com uma grande atenção à “realidade da família”.

Já sobre o pontificado do Papa Francisco, o novo bispo do Funchal diz à VATICAN NEWS, que este “é o pontificado que Deus quer para o tempo de hoje”, concluindo que “devemos sempre agradecer os Papas que Deus nos dá”.

D. Nuno Brás da Silva Martins frequentou os Seminários Maiores do Patriarcado de Lisboa, tendo sido ordenado sacerdote pelo Cardeal-patriarca D. António Ribeiro, a 4 de julho de 1987.

Foi vigário paroquial na Paróquia de Nossa Senhora dos Anjos, em Lisboa, redator, editor e diretor do Jornal Voz da Verdade, reitor do Pontifício Colégio Português, em Roma, formador e depois reitor no Seminário dos Olivais.

O prelado integra a Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais, e desde julho de 2016 é também membro da Secretaria para a Comunicação da Santa Sé.

Desde março de 2018, D. Nuno Brás é também coordenador da secção das Comunicações Sociais da Comissão para Evangelização e Cultura, organismo do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE).

Ouça a entrevista da Rádio Vaticana: