Vaticano: “Expectativa mediática excessiva” sobre a reunião do Papa com os presidentes das Conferências Episcopais

Foto: Vatican Media

Para o director editorial do Dicastério da Comunicação do Vaticano, Andrea Tornilli, “há uma expectativa mediática excessiva em vista da próxima reunião convocada pelo Papa Francisco sobre o tema da proteção de menores e adultos vulneráveis, como se fosse um evento no meio do caminho entre um concílio e um conclave”.

No texto editorial desta quinta-feira, 10 de janeiro, sobre “abusos: encontro entre Pastores com olhar concreto”, Tornielli afirmou que esta expectativa pode fazer passar para segundo plano o “significado eclesial” da reunião do Papa com os presidentes das Conferências Episcopais de todo o mundo, “convocados pela primeira vez” para enfrentar juntos “esta chaga dolorosíssima que foi e continua a ser fonte de sofrimentos enormes para as vítimas e contratestemunho evangélico”.

Este responsável pela comunicação do vaticano considera que “o objetivo da reunião é muito concreto: fazer com que cada um que tomará parte dela possa retornar ao seu país, tendo absolutamente claro o que é preciso fazer (e não fazer) diante desses casos. Quais são os passos a serem cumpridos para tutelar as vítimas, respeitando a verdade e as pessoas envolvidas, a fim de que nunca mais nenhum caso seja coberto ou escondido”.

O Papa Francisco indica o caminho da conversão e pede que cada participante da reunião se encontre com as vítimas pois “as normas, as leis, os códigos e os procedimentos cada vez mais refinados e precisos não bastam, nunca serão suficientes se não mudarem a mentalidade e o coração daqueles que são chamados a aplicá-los”, refere Andrea Tornielli.  

Este jornalista termina citando o discurso do Papa à Cúria Romana onde afirmou que a reunião de fevereiro buscará “transformar os erros cometidos em oportunidades para erradicar” a chaga dos abusos “não somente do corpo da Igreja, mas também do da sociedade”.