“Madre Virgínia é figura cimeira”

Madre Virgínia Brites da Paixão | D.R.

Por Grupo de Oração pela beatificação da Madre Virgínia Brites da Paixão

“Mulher para os tempos difíceis” foi considerada por D. Teodoro Faria na Conferência realizada em 2009 na Junta de Freguesia de Santo António.

Já D. Maurílio de Gouveia, Arcebispo Emérito de Évora, acrescentou que esta religiosa da Ordem de Santa Clara “é uma das figuras cimeiras da história da nossa diocese e da Madeira. Ela atingiu um tal nível de santidade que não é fácil de atingir. Justifica-se por isso o relevo que se está a dar a este aniversário”.

 “Estou feliz por participar, pois, desde a minha infância habituei -me a ouvir falar da sua santidade. Depois, como estudante e Bispo, sempre procurei estudar os seus escritos, a sua vida mística”. Entre as características destacadas por D. Maurílio, nota-se “uma inteligência especial, um grande espírito de fé da parte de Madre Virgínia que passou por uma experiência extraordinária em 1910”, facto que a obrigou a regressar à casa dos pais, onde nasceu, no Lombo dos Aguiares. 

No meio das circunstâncias mais adversas, e apesar da sua elevada estatura como religiosa (era então Superiora do Convento das Mercês) “ela viveu como simples cristã e cidadã no Lombo dos Aguiares. Mas, ao mesmo tempo, viveu uma vida espiritual muito intensa, com fenómenos místicos que espero que a Igreja um dia, quando se concluir o processo de beatificação e canonização, possa revelar ao mundo a riqueza desta alma”, sublinhou D. Maurílio de Gouveia.

Em relação ao Processo diocesano em curso para a beatificação e canonização de Madre Virgínia, o Bispo Emérito do Funchal, D. Teodoro de Faria sugeriu a criação de uma “Liga de Oração”, a exemplo do que aconteceu com o Beato Carlos de Áustria. E acrescentou “O Imperador teve a rezar por ele uma Liga de Oração em todo o Mundo” 

Além disso, D. Teodoro de Faria considerou ser necessário “incentivar mais na paróquia” (de Santo António) o conhecimento desta ilustre figura da freguesia porque as “novas gerações”, oriundas em grande parte de uma população vinda de fora, a desconhecem por completo. 

O novenário a decorrer na Paróquia de Santo António presidido pelo Pároco, o Senhor Cónego Carlos Duarte, desde o dia 8 e que culminará com a celebração da missa solene no dia 17 do corrente mês, pelas 19h, tem contribuído muito para incentivar o conhecimento desta “figura cimeira” pois nas homilias proferidas pelo Cónego Carlos Duarte, tem sido estabelecida uma relação intrínseca entre a Palavra de Deus e as virtudes daquela Mulher considerada “uma das figuras cimeiras da história da nossa diocese e da Madeira”. 

Ao grupo de oração não restam dúvidas que tendo ela vivido e testemunhado o Evangelho será brevemente reconhecida como figura cimeira da Igreja Católica, após a sua beatificação.