Com os débeis e desprotegidos ao encontro de Jesus

D.R.

Angra: Bispo desafia cristãos a contrariar o Natal consumista 

Natal: ao encontro dos pobres e marginalizados

1.O bispo de Angra, nos Açores, alertou na sua mensagem para o Natal de 2018 para os perigos do “frenesim económico e material” de uma sociedade mergulhada no “individualismo e consumismo”.

“Caminhar ao encontro de Jesus de Nazaré é deslocar-se para ir ao encontro dos que na sociedade esperam a sua libertação, nomeadamente os pobres, os excluídos, os marginalizados, os refugiados, os migrantes, isto é, os que anseiam por uma vida digna”, escreveu D. João Lavrador.

A sua mensagem refere o simbolismo da pobreza de Jesus Cristo, “desde a primeira hora”, vivida no amor, na comunhão mútua, na generosidade, na partilha, no desprendimento pessoal, na ternura, na compaixão e na abertura para Deus”. 

Fez um convite à sociedade e à cultura atuais, “para que exista uma opção em favor dos mais “débeis e desprotegidos”. “É nestes sentimentos de profunda comunhão entre todos os homens e mulheres que vivem, sofrem e lutam, crentes ou não crentes, que expresso os meus votos de Santo Natal para todos os diocesanos que vivem nos Açores ou se encontram na diáspora”, conclui.

Papa Francisco: S. José, o homem dos sonhos

José soube acompanhar em silêncio

2.No dia 18 dezembro, o Papa centrou a homilia em Santa Marta, na figura de São José, como “o homem que sabe acompanhar em silêncio”.

Nos Evangelhos, São José é apresentado como “um homem justo que observa a lei, um trabalhador, humilde, apaixonado por Maria”.

Ele ajudou Jesus “a crescer, a se desenvolver. Procurou um lugar onde nascesse; cuidou dele; ajudou-o a crescer; ensinou-lhe a profissão: muitas coisas… deixou-o crescer em silêncio”.

O Papa pediu “para não perder a capacidade de sonhar com o futuro: cada um de nós sonhar a nossa família, os nossos filhos, os nossos pais. Ver como eu gostaria que fosse a vida deles. Os sacerdotes também: sonhar os nossos fiéis, o que queremos para eles”.

Cáritas: Migrantes e Refugiados

Campanha “partilhe a Viagem”

3.O presidente da Cáritas Internacional convidou os católicos a “alargar os horizontes” no Advento.

“As pessoas mais pobres e marginalizadas nas nossas sociedades trazem-nos verdadeiras mensagens de esperança”, escreve o cardeal Luis Antonio Tagle, arcebispo de Manila, numa mensagem divulgada pela organização católica. 

Sublinha que a vida de Cristo “revolucionou” a forma de olhar para os pobres e marginalizados. A Cáritas, com o Papa Francisco, pede ao mundo inteiro que “partilhe a viagem” com os migrantes e refugiados. “O primeiro passo é ver a outra pessoa na sua plena dignidade, dada por Deus e não desviar o olhar com medo, preconceito ou ódio”.

O cardeal filipino desafia os católicos a colocarem-se no lugar dos pastores, “afastados da sua sociedade, sem instrução”, que foram visitar o Menino Jesus, e depois espalharam a Boa Nova sobre o que viram… 

Lisboa: Caminhada de «interioridade» e «comunhão»

O Senhor deu a conhecer a salvação  

4.O Setor Diocesano de Catequese do Patriarcado de Lisboa fez um itinerário de Advento e Natal 2018-2019, intitulado ‘O Senhor deu a conhecer a salvação’, como ajuda para os catequisandos, os catequistas e as famílias.

“A caminhada de Advento e Natal constitui um convite à interioridade, ao silêncio, à escuta e comunhão com Deus através da oração. O itinerário para o Advento e Natal 2018-2019 é uma proposta para ser vivida na “família, grupo de catequese e comunidade cristã” desde o primeiro domingo do Advento, a 2 de dezembro, até à festa do Batismo do Senhor.

 “A liturgia constitui o lugar por excelência do encontro com Deus e com os irmãos. Nela se exprimem as atitudes humanas e cristãs com as quais a Igreja espera, acolhe, festeja e antecipa a vinda do Senhor”.

Porto: «Natal dos Sós» na Casa dos Girassóis

Consoada num ambiente simples e familiar

5.A iniciativa «Natal dos Sós» promovida pela Paróquia da Campanhã (Porto) que se realiza na noite da consoada (24 de dezembro), este ano na Casa dos Girassóis.

Desde 1987 que esta paróquia oferece neste dia a Ceia de Natal, num ambiente simples e familiar em que cada um é chamado pelo seu primeiro nome. Alguns jovens e adultos tratam do acolhimento e outros dedicam-se a cozinhar.

Habitualmente, são “meia centena de pessoas”, de diversa proveniência e estatuto social, que não aguentam a solidão nessa noite e vêm formar «família», em busca de um abraço acolhedor e de uma ceia tradicional.

A Casa dos Girassóis “oferece carinho a quem mais precisa” e foi benzida a 21 de abril deste ano, pelo bispo do Porto, D. Manuel Linda.

Este gesto de Natal repetiu-se em muitas terras.

Vaticano|Lisboa: Com pobres e sem abrigo

Refeição de Natal e voluntariado

6. Em muitos lugares e instituições fazem convívios com os pobres. Esta partilha fraterna é Evangelho… A todos englobo neste número.

Em Roma, o Papa Francisco convidou os pobres para um almoço em que esteve presente. No coração de Jorge Begoglio são acolhidos todos, não importa sua religião, raça ou cor. A Igreja tem portas abertas para todos, e “a riqueza da Igreja são os pobres”. 

Em Lisboa, os sem abrigo tiveram um ceia de Natal em que colaboraram muitos voluntários, incluindo o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que se desfez em atenções e carinho para com os presentes servindo às mesas e conversando com eles, ouvindo seus problemas de despejos,… 

O Natal não é só um dia, mas todos os dias do ano. Que o Menino Deus nos abra o coração porque há muitos famintos à nossa volta e milhões no mundo…