“Renúncia do Advento” destina-se ao Fundo Social Diocesano e a ajudar as crianças da Síria

Foto: AIS

A “Renúncia do Advento” deste ano será destinada, em partes iguais, ao Fundo Social Diocesano (FSD) e à ajuda às crianças da Síria, através da Fundação Ajuda a Igreja que Sofre (AIS), mais precisamente da campanha ‘Deixe-me viver a minha infância’, que “procura auxiliar diretamente crianças e jovens traumatizados pela guerra”.

As ofertas que forem sendo postas de parte pelos fiéis durante este tempo, serão recolhidas em todas as igrejas e capelas, como é de hábito fazer-se, nos dias 5 e 6 de janeiro, sábado e domingo da Solenidade da Epifania do Senhor, “devendo as mesmas ser entregues na Cúria diocesana com a maior brevidade”.

A decisão do destino a dar à “Renúncia do Advento”, deste ano, foi anunciada por D. António Carrilho, na Solenidade da Imaculada Conceição no dia 8 de dezembro, na Sé do Funchal.

Em relação ao Fundo Social Diocesano, lembrar que o mesmo foi instituído na Quaresma de 2008, tendo em vista prestar “uma ajuda mais eficaz às situações de pobreza real, muitas vezes envergonhada, que algumas instituições da igreja bem conhecem, por exercerem a sua atividade numa relação muito próxima e personalizada”.