Evangelizar nas redes sociais

Foto: Vatican Media

Dia das Comunicações Sociais 2019

Para o Dia das Comunicações Sociais 2019 o Papa Francisco escolheu  para tema da sua mensagem: «Somos membros uns dos outros” (Ef 4,25), “Das ‘community’ às comunidades”. Tema com o objetivo de propor uma “reflexão sobre a atualidade e a natureza das relações na Internet”.

“Nele sublinha a importância da comunicação da pessoa, e enfatiza o valor da interação como oportunidade de diálogo e encontro com os outros”. Além disso, “confirma” a atenção do Papa sobre os “novos ambientes de comunicação e, em particular, para as redes sociais”.

 “A metáfora da rede como comunidade solidária implica a construção de um «nós», fundado na escuta do outro, no diálogo e, consequentemente, no uso responsável da linguagem”, recorda a reflexão de Francisco, em 2014, onde afirmava a Internet como “um lugar cheio de humanidade, não uma teia de fios mas de pessoas humanas”.

O Papa tem uma conta no Twitter, com o nome «@Pontifex», onde é seguido por mais de 17 milhões de pessoas, e no Instagram com o perfil «@Franciscus», contando com mais de cinco milhões de seguidores.

O Dia Mundial das Comunicações Sociais, única celebração estabelecida pelo Concílio Vaticano II (decreto ‘Inter Mirifica’, 1963), é celebrado no domingo antes do Pentecostes, que no próximo ano – 2019 – se assinala no dia 26 de maio.

Partilha dos jovens em conteúdos religiosos 

O fundador da Aleteia, Jesus Colina, disse – nas Jornadas ‘digitais’ de Fátima, deste ano, que a grande oportunidade da internet é «escutar» os jovens. E apresentou aos participantes os resultados de um inquérito sobre quem são os jovens que partilham conteúdos religiosos nas redes sociais, uma análise relativa aos 540 milhões de perfis no facebook e instagram.

A análise mostra que 4% tem interesse em conteúdos religiosos cristãos. Portugal está no 3.º lugar dos “jovens interessados em religião” na Europa, empatado com a Lituânia e Malta, apenas atrás da Itália e da Polónia.

A nível mundial, o líder é Timor-Leste, com 33,3% jovens nas redes sociais interessados em religião; seguem-se Costa Rica, El Salvador, Paraguai, Brasil, Porto Rico, Itália, Guatemala, Peru, Polónia e Nicarágua.

Os maiores influenciadores nas redes sociais são personagens de sucesso que “abraçaram uma causa”; nos jovens que manifestam interesse pela religião, o maior “influencer” é o Papa Francisco.

O padre António Valério, diretor da Rede Mundial de Oração em Portugal, recordou que “praticamente desde o começo da internet, a Igreja esteve ligada à comunicação digital”.

Evangelizar nas redes sociais

A irmã XisKya Valladares disse – em Fátima – que para evangelizar nas redes sociais as publicações devem ser mais amplas do que exclusivamente religiosas. A Monja «twitera» sugere «conversação» e «acolhimento» como boas práticas nas redes sociais

“Não bombardear a rede com mensagens religiosas. Isso não é evangelizar. Isso só interessa a quem é religioso. Quem não vai à Igreja não lhe vai interessar”, enfatizou a religiosa durante o debate sobre «Boas práticas para evangelizar no Facebook, Twitter e Instagram». “Os entendidos dizem que devemos publicar 20% de interesse nosso e 80% do interesse da audiência. E evidenciou que a mudança tecnológica está a alterar “a forma como se conduz, os relacionamentos, como se comunica” e também a forma como “as pessoas edificam os valores”. 

Sugere a Irmã Xiskya que a publicação deve ser “diária”, com “resposta a todos os comentários”. No Twitter devem ser motivadas as conversações, daí a importância de responder às mensagens. O Instagram é “uma rede, sobretudo, de gente jovem”.

Formação e educação antropológica dos jovens

As últimas pesquisas mostram que cerca de 50% dos navegadores digitais se inspiram em imagens e comentários online; 70% consultam vídeos e opiniões dos que já viajaram.

A mensagem aludia ao Sínodo dos Bispos sobre os Jovens, sublinhando a necessidade de oferecer à juventude cursos de formação e educação antropológica, para que possam viver a “era digital” sem ser enganados pelo mundo virtual.

A Sala de Imprensa da Santa Sé costuma divulgar a mensagem do Papa  na festa litúrgica de São Francisco de Sales, padroeiro dos jornalistas, a 24 de janeiro.