Dia mundial dos pobres: “Átrio da paz” na igreja de S. José promove conferência sobre regressados da Venezuela

D.R.

O “Átrio da Paz”, na Igreja de São José, promove na próxima sexta-feira, dia 16 de novembro pelas 19.30 horas, uma conferência/debate com o jornalista da TSF, Nicolau Fernandes, sobre a problemática dos refugiados, particularmente, os “regressados” à Madeira dos luso-descendentes da Venezuela.

“Esta nossa ação vem na sequência do apelo do Papa Francisco no documento para a celebração do II Dia Mundial dos Pobres, onde diz ‘No caminho para o segundo Dia Mundial dos Pobres, talvez se pudesse pensar na organização de momentos de preparação para esse dia; tais momentos poderiam ter lugar nas paróquias, nas dioceses, nas associações católicas, mas também nas escolas e universidades’, lê-se no comunicado enviado ao Jornal da Madeira.

A nota de imprensa acrescenta que “tendo em conta que a chegada de povos em qualquer sociedade sempre cria algum sentimento de repulsa nalguns meios sociais, antes que se agrave este mal entre nós, é preciso que pensemos e conheçamos bem os contornos da realidade toda, para que resquícios de xenofobia, desprezo, indiferença e racismo não prevaleçam, e não agravem ainda mais o sofrimento ou firam a dignidade de quem teve necessidade de deslocar-se à procura de sobrevivência e da segurança”.

Neste âmbito, o “Átrio da paz” propõe seguir o que propõe o Papa Francisco com os três verbos: Gritar (Clamar), Responder e Libertar. Primeiro “ouvir os que estão na condição de «regressados» da Venezuela”. Depois responder: no sentido de participar na dor e nos sofrimentos do pobre e sentir compaixão por aquilo que lesa a sua dignidade humana”. Finalmente o esforço para libertar “pela reflexão, o diálogo e a chamada de atenção, podemos encaminhar e fazer despertar a sociedade para esta questão de pobreza que se atravessa diante dos nossos olhos neste preciso momento. Não podemos nem devemos deixar só para alguns os problemas que são de todos nós”.