O Papa Francisco demitiu dois bispos chilenos por abuso de menores

D.R.

Cidade do Vaticano, 13 out 2018 (Ecclesia) – O Papa Francisco demitiu dois arcebispos do Chile devido a razões de abuso contra menores, conforme divulgou este sábado a sala de imprensa do Vaticano.

“O Papa demitiu do estado clerical Francisco José Cox Huneeus, arcebispo emérito de La Serena (Chile), membro do Instituto dos Padres de Schoenstatt, e Marco Antonio Ordenes Fernandez, bispo emérito de Iquique (Chile)”, pode ler-se.

A sala de imprensa divulgou ainda que Francisco tomou esta decisão na última quinta-feira, dia 11 de outubro, e que tal “não permite recurso”.

“Em ambos os casos, foi aplicado o Artigo 21 §2, 2º do Motu proprio “Sacramentorum Sanctitatis Tutela” como consequência de atos manifestos de abuso contra menores”.

A Congregação para a Doutrina da Fé já informou os bispos “através dos seus superiores” e o arcebispo emérito de La Serena (Chile), Francisco Huneeus, vai continuar a “fazer parte do Instituto dos Padres de Schoenstatt”.

Ainda neste sábado o Papa recebeu o presidente da República do Chile, Sebastián Piñera Echenique, onde foram destacadas as boas relações entre a Santa Sé e o Chile.

A situação do país, com particular “referência à defesa da vida e à dolorosa chaga dos abusos contra menores”, foram temas da conversa em que se destacou o “compromisso de todos para combater e impedir esses crimes e sua ocultação”, como informou a Santa Sé.

SN