Santa Casa de Machico recebe elogios ao trabalho e  apoio de 197 mil euros

D.R.

A Santa Casa da Misericórdia de Machico assinalou esta quarta-feira, dia 4 de junho, os seus 489 anos. Na sessão comemorativa da data, integrada na Festa Anual da instituição, estiveram presentes diversas entidades, entre as quais o bispo do Funchal e a secretária regional da Inclusão e dos Assuntos Sociais.

D. António Carrilho começou a sua intervenção precisamente com uma referência ao programa da Festa Anual o qual, pela diversidade de iniciativas e faixas etárias abrangidas, mostra em seu entender que a Misericórdia “desevolve uma ação aberta ao exterior”, mas também que “conta com o apoio das forças exteriores para melhor servir os utentes, e através deles as suas famílias”. De resto, ser uma instituição autónoma, como é o caso, “não significa ser desligada dos outros”, porque a “cooperação” é garantia do bem comum, frisou.

Neste contexto, o prelado elogiou e deu os parabéns à instituição, e a todos quantos nela trabalham, precisamente pelo “trabalho inclusivo” que desenvolvem, mas também pela “dedicação” com que o fazem, sublinhando que “não há outro caminho”. 

“Reconhecimento” e “apreço” foram ainda palavras usadas pelo bispo do Funchal, para se referir à ação desenvolvida pela Santa Casa da Misericória de Machico, a quem deixou “a promessa de todo o apoio à resolução dos problemas e projetos de melhor servir”.

D. António Carrilho referiu-se ainda ao facto desta festa ter lugar na semana em que se celebra a Rainha Santa Isabel, padroeira das misericórdias, o que lhe confere um significado ainda mais especial, por “ter a marca daquilo que deve ser uma instituição canónica, uma instituição com uma marca eclesial desde as suas origens”, que deve prestar “um serviço fraterno, fazendo o bem a todos e não apenas aos que professam a fé cristã”.

O bispo do Funchal aludiu ainda à bênção das rosas, para frisar que “as flores desta casa, as flores da nossa atividade, as flores que vamos passando e vamos comunicando, têm de ser flores que se transformem em pão de alegria, em pão de paz, em pão de unidade, em pão de serviço mútuo e em pão para aqueles que o não têm”. 

Já Nélia Martins, provedora da Santa Casa da Misericórda de Machico disse que esta Festa Anual é promovida precisamente com o intuito de “fortalecer a importância secular” da instituição junto da população.

Presente também, como já referimos, nesta cerimónia de aniversário, esteve a secretária da Inclusão e dos Assuntos Sociais que anunciou que o Governo Regional vai apoiar a instituição com 197 mil euros.

Na sua intervenção na sessão solene, Rita Andrade enalteceu também o papel que a Santa Casa da Misericórdia tem desempenhado junto da comunidade, especialmente dos mais desfavorecidos, através de diversas respostas sociais, nomeadamente o Lar, o Centro de Dia, o Centro Comunitário e o Pólo Socio Comunitário.