Herbário do Jardim Botânico recebeu nome do padre Manuel Nóbrega

Foto: Duarte Gomes

Decorreu, esta quinta-feira, dia 7 de junho,  a cerimónia de atribuição do nome do padre Manuel Nóbrega ao herbário do Jardim Botânico. A iniciativa contou com a presença do bispo do Funchal e da secretária regional do Ambiente, Susana Prada.

Na oportunidade, D. António Carrilho congratulou-se com esta homenagem, num tom “simples e gracioso”, o mesmo que caracterizava o padre naturalista, na “relação pessoal, mas também na relação com a ciência, concretamente nesta área”. 

Aliás, “o herbário foi a grande paixão do Pe. Nóbrega”, conforme lembrou D. António Carrilho, sem deixar de sublinhar o contributo do seminário, “que despertou nele este gosto pelas Ciências Naturais” e a honra que é para a Diocese ver ‘um dos seus’ ser homenageado.  

De resto, sublinhou D. António, a Igreja sempre se empenhou, não apenas na formação específica dos sacerdotes, mas também que os mesmos demonstrassem o seu “gosto e entusiasmo” pelas mais variadas áreas e causas, desde a cultura à educação, passando pela área social e também pela área das ciências naturais. Foi o que aconteceu com o Pe. Nóbrega, que “desde os 14 anos, ainda no seminário, foi estimulado pelo Cónego Barreto, que lhe confiou algumas missões, nomeadamente no Curral das Freiras, de onde ele era natural” e ganhou este gosto.

O Pe. Nóbrega tinha “um olhar diferente da natureza e da floresta. Olhava-as não apenas no aspeto ciêntifico, mas pensava também como é que a riqueza da natureza e da floresta podiam estar ao serviço das pessoas”, disse o prelado. Mas também sabia o respeito que a natureza merece como, de resto, foi referido pelo Papa Francisco, na sua Encíclica “Laudato Si”, que nos convoca para que cuidemos de “Nossa Casa Comum”, algo pelo qual o Pe. Nóbrega sempre se empenhou.

Por outro lado, esta sua preocupação de tornar a ciência mais acessível e de a colocar ao serviço de todos, nomeadamente através da medicina doméstica e caseira, fê-lo chegar aos Prazeres, onde há um outro herbário. Semanalmente, disse o bispo do Funchal, o espaço recebe várias visitas de estudos, o que mostra bem o interesse que o mesmo suscita.

Finalmente, D. António Carrilho aproveitou para anunciar que o trabalho o Pe. Nóbrega vai ter continuidade, nomeadamente através da Dr.ª Susana Fontinha, ela que momentos antes, na apresentação que fez, considerou o Pe. Nóbrega “um amigo e mentor”. Será Susana Fontinha que irá representar a Diocese e o Seminário, cujo espólio do museu natural foi, em tempos, colocado à guarda e conservação do Jardim Botânico Eng. Rui Vieira, e uma das razões porque o Pe. Nóbrega acabaria por ser destacado para o Jardim Botânico.

Por sua vez, Susana Prada disse que que “o Governo entende que é sua obrigação homenagear todos os madeirenses que trabalham e dedicam a sua vida em prol dos outros”, tal como o Padre Nóbrega, destacando também a sua “sensibilidade geológica”.

Recorde-se que a homenagem ao Padre Manuel Nóbrega foi aprovada em Conselho de Governo, tendo em conta o seu contributo do para o incremento do acervo do herbário, que reúne, aproximadamente vinte e seis mil exemplares de plantas.