Casa de Saúde São João de Deus inaugura nova unidade

A bênção das novas instalações esteve a cargo do bispo do Funchal, que voltou a sublinhar a importância da instituição, não só para o Funchal, mas para toda a Região.

Foto: Duarte Gomes

A Casa de Saúde São João de Deus inaugurou esta quarta-feira, 30 de maio, uma nova unidade que vai permitir acolher mais 22 utentes com dependência mental grave.

Com a bênção e inauguração destas novas instalações, que receberam o nome de João Jesus Adradas, mártir beatificado em 1992 por João Paulo II, a instituição considera ter dado mais um passo significativo na melhoria das condições oferecidas aos que ali são tratados, mas também aos que ali trabalham.

Aliás, de acordo com o diretor da instituição, Eduardo Lemos, a Unidade Beato João Jesus vai prestar um “serviço moderno, de elevada qualidade, com segurança e conforto”, sendo esta uma obra “da maior importância”, quer para a instituição, cuja gestão está a cargo da Ordem Hospitaleira de São João de Deus, quer para a Região.

A nova unidade resultou da reabilitação de um imóvel que se encontrava devoluto e, para além das 22 camas distribuídas por quartos individuais e duplos, dispõe ainda de 11 gabinetes de enfermagem e de dois parques de estacionamento cobertos com 72 lugares. Além disso, do conjunto agora requalificado, faz ainda parte uma ampla praça para eventos sociais da “casa” e da comunidade envolvente, que recebeu o nome de (João Ávila) Angulo, um companheiro leigo colaborador e mordomo do hospital de S. João de Deus, em Granada.

Na sessão que marcou a inauguração, Eduardo Lemos sublinhou que a obra representou para a instituição “um enorme esforço financeiro”, no valor de “dois milhões e meio de euros”, tendo havido necessidade de recorrer à banca, para o poder concretizar. 

Neste contexto, o diretor aproveitou para pedir ao presidente do Governo apoio para reabilitar o restante Edifício de São Lucas, onde está instalada esta nova unidade de saúde.

 

 

 

Ao pedido, Miguel Albuquerque respondeu pronta e positivamente, dizendo que “com a maior naturalidade e com a convicção de que o investimento do governo é um investimento essencial na saúde pública da Madeira e na melhoria da saúde mental na Madeira”, o Executivo irá comparticipar com um milhão e 70 mil euros a obra agora realizada. De resto, “a obrigação e o imperativo do Governo é colaborar com os grandes objetivos desta instituição, dentro das disponibilidades financeiras”, sublinhou  Miguel Albuquerque, destacando o desempenho da Ordem de São João de Deus no âmbito da “humanização” dos serviços prestados na saúde mental na região.

Além disso, o presidente do Governo deixou a garantia de que vai enviar, já na próxima semana, “técnicos para averiguar o que está em falta”, e assim avançar para um programa de financiamento europeu, para que a restante reabilitação avance. 

A importância da Casa de Saúde de São João de Deus foi, de resto, sublinhada por todos os intervenientes na sessão, nomeadamente por D. António Carrilho, que referiu uma vez mais “que esta não é uma casa, nem uma obra estática”, mas “uma instituição que está atenta à realidade e que procura respostas para aquilo que essa realidade concreta efetivamente implica”. 

Já Paulo Cafôfo, referindo-se à obra inaugurada, disse que a mesma tem uma qualidade que está à vista de todos. Aliás comparou mesmo as novas instalações às de uma qualquer unidade hoteleira de excelência. Porém, o que ali está é também “uma obra humana”, ou seja, “vejo o carinho e o amor com quem aqui trabalha” e isso, disse, “faz toda a diferença na recuperação das pessoas”.