Encontro de Cantares do Espírito Santo preserva a tradição secular

No próximo ano é a Escola Básica e Secundária Pe. Manuel Alvares, na Ribeira Brava, que vai receber esta iniciativa.

Foto: Duarte Gomes

A Escola Básica do 2º e 3º Ciclos de Santo António acolheu, na tarde desta sexta-feira, dia 11 de Maio, mais uma edição do Encontro Regional de Cantares do Espírito Santo. O evento, que vai já na sua 13ª edição contou com a participação de vários grupos incluindo o da casa.

A assistir a esta manifestação cultural, que encerrou a Semana Europeia da Escola e em pleno ano Europeu do Património Cultural, alguns convidados especiais, entre os quais o bispo do Funchal, o secretário regional da Educação e ainda o seu homólogo açoriano.

A iniciar o evento falou-se de história. A história desta tradição que se confunde com a da própria ilha, descoberta há 600 anos, e mais tarde com a da própria Diocese. 

Seguiu-se então desfile dos vários grupos a representar diversas escolas, a saber: Escola Básica 1,2,3/PE Professor M. S. Barreto (Fajã da Ovelha), Escola Básica e Secundária Pe. Manuel Alvares (com dois grupos, um da Ribeira Brava outro da Tabua), Escola Básica e Secundária de Machico, a EB 2,3 do Caniçal, a EB 2,3 do Caniço,  a EB 2,3 do Estreito, a Básica e Secundária Dr. Luís Maurílio Dantas (Carmo), a EB 2,3 Dr. Alfredo Ferreira Júnior e por fim o grupo da EB 2,3 de Santo António. 

Todos eles encantaram os presentes e cumpriram a sua missão: mostrar como se Canta ao Divino Espírito Santo e como a escola pode, e deve ser, um meio de transmissão da nossa cultura, ajudando a manter vivas aquelas que são as nossas tradições e o nosso património.

De resto, no final do evento, foi essa a ideia que os diferentes intervenientes quiseram deixar a todos envolvidos nesta iniciativa, a começar pelo bispo do Funchal, para quem a escola é uma veículo para “semear valores”, e “repropor no nosso tempo, muito daquilo que é tradição, que vem de longe, mas que são valores que valem hoje, e são semente de valor para o futuro”. 

D. António Carrilho fez ainda questão de agradecer ao Secretariado Diocesano da Educação Cristã, aos professores de EMRC e aos párocos que se empenharam, pelo “serviço que prestam à educação”.

Já Jorge Carvalho também agradeceu a “todos quantos se empenharam para organizar este evento” e a todos os professores que “valorizam  nosso património e dispensam grande parte do seu tempo para o valorizar e o disseminar junto dos nossos alunos”. A escola, disse o secretário, “não é só o currículo, o ranking, as aulas”. A escola tem também o papel de “formar cidadãos e formar cidadãos implica este contato com aquilo que são as nossas raízes, as nossas tradições”.

A terminar de referir que, no próximo ano, o Encontro Regional do Espírito Santo vai ter lugar na Ribeira Brava, na Escola Básica Pe. Manuel Alvares.