Conferência no Colégio dos Jesuítas para lembrar a vida e obra de Chiara Lubich

D.R.

Numa iniciativa da Universidade da Madeira, através do Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas da Faculdade de Artes e Humanidades, em parceria com a Pastoral Universitária e o Movimento dos Focolares, realiza-se esta quarta-feira, 14 de março, uma conferência no Colégio dos Jesuítas (rua dos Ferreiros, Funchal), sobre Chiara Lubich (1920-2008).

A iniciativa, marcada para as 18 horas, visa assinalar os 10 anos da sua morte e terá como oradora Anna Maria Rossi, do Centro Chiara Lubich, em Rocca di Pappa (Roma), licenciada em Letras Modernas, pela Università degli Studi di Bologna, e em Linguística e Teoria da Literatura, pela Università degli Studi Tor Vergata, onde, actualmente, está a realizar um Doutoramento em Linguística e Teoria da Literatura. Ao mesmo tempo, serão dados a conhecer os vários Doutoramentos “Honoris Causa” recebidos por Chiara Lubich, entre outros prémios e cidadanias honorárias, através de uma exposição que ficará patente ao público até o dia 23 de março, com o título “Chiara Lubich: uma mulher singular”. A conferência desta quarta-feira tem entrada livre.

Chiara Lubich fundou o Movimento dos Focolares em 1943, em Trento, com o carisma da unidade e da fraternidade universal.No contexto da II Guerra Mundial, “perante o desmoronar de tudo à sua volta”, Chiara “descobre Deus como o único ideal que não passa. Com um primeiro grupo de amigas, nos refúgios, durante os bombardeamentos, encontram nas palavras da Evangelho uma luz nova: Deus é amor! Descobrem no mandamento do amor recíproco o coração do Evangelho; no testamento de Jesus o plano divino de unidade universal e a finalidade das suas vidas; em Jesus crucificado, que grita o abandono do Pai, o segredo para recompor a unidade em todos os âmbitos. Desta experiência de vida evangélica no dia-a-dia nasce uma espiritualidade marcadamente comunitária, que dá origem ao Movimento dos Focolares.”

Atualmente, o Movimento está presente em 182 países, com mais de 5 milhões de pessoas de todas as condições sociais, idades, raças e culturas. A Santa Sé aprovou o Movimento em dezembro de 1962; e em junho de 1990 o seu apostolado foi reconhecido pelo Conselho Pontifício para os Leigos como associação internacional de fiéis de direito pontifício. Tem como principal missão contribuir para a realização da oração de Jesus ao Pai: “Que todos sejam um”. Entretanto, em janeiro de 2015, iniciou-se oficialmente o processo de beatificação e canonização da fundadora do Movimento dos Focolares. Na ocasião, o Papa Francisco considerou Chiara Lubich como o “exemplo luminoso de vida” e fez votos para que a “herança espiritual” de Chiara “suscite em todos os que a acompanharam uma atitude renovada de fidelidade a Cristo e de serviço generoso em prol da unidade da Igreja”.

D.R.