Paróquias celebram Santo Amaro

A tradição manda que se varra os armários e se ponha um fim à Festa.

A Festa de Santo Amaro, que liturgicamente se celebra no dia 15 de janeiro, é um marco importante na fé e na devoção popular do madeirense.

Além de ser o padroeiro de algumas das nossas paróquias, as celebrações em sua honra correspondem, em muitos locais, ao encerramento da Festa, pelo que este Santo é festejado com pompa e solenidade sendo mesmo, a par com Santo Antão que se celebra dia 21, o mais populares do mês de Janeiro.

Mas falemos de Santo Amaro, que é aquele cuja celebração nos está literalmente a bater à porta. Para já há que referir que ele é o Padroeiro das comunidades paroquiais de Santo Amaro, no Funchal e do Paúl do Mar e celebrado como se o fosse de facto em Santa Cruz, cujo padroeiro é na verdade São Salvador.

Vamos varrer os armários

Para além da participação nas celebrações litúrgicas, manda a tradição que pelo Santo Amaro se varram os armários. É por isso que, na noite de 14 para 15 de janeiro, é costume as pessoas se juntarem para andar de casa em casa, tocando, cantando e comendo as iguarias que sobram do Natal, pondo assim um ponto final à quadra.

Nalgumas zonas os grupos fazem questão de ir munidos dos adereços usados para estas limpezas. Referimo-nos, claro está, às respetivas pás e vassouras, que são quase sempre mencionadas nas quadras que vão entoando para que as portas das casas se abram. Depois é entrar, comer, beber, cantar e tocar, até à casa seguinte.

Devoção antiga

Crê-se que a devoção a Santo Amaro “terá vindo nas caravelas dos descobridores e colonizadores”. É dessa época que datam as capelas mandadas erigir em sua honra e as consequentes romarias a esses centros de devoção, algumas das quais se mantêm até hoje.

Na Diocese do Funchal, consta que foram pelo menos quatro as capelas que foram erguidas e dedicadas a Santo Amaro, ficando uma localizada em Santo António (hoje Paróquia de Santo Amaro), no Paul do Mar, na Ponta do Sol e lá está em Santa Cruz.

Em todas elas o Santo é celebrado com festa mais ou menos rija, com mais ou menos romeiros, no dia próprio ou mais adiante, como acontece na paróquia de Santo Amaro, onde a festa será dia no 21, com Eucaristia solene às 16 horas, seguida de procissão em que sairá não só Santo Amaro, mas também Santo Antão.

Rapazes solteiros e casal de festeiros

Já na paróquia de Santa Cruz, por exemplo, a pretexto desta celebração litúrgica há todo um programa de festejos que duram praticamente uma semana.

Este ano a festa é coordenada pelos rapazes solteiros, que contam com a colaboração de um casal de festeiros da África do Sul que se deslocam à sua terra natal propositadamente para se associarem a estas festividades, em cumprimento de uma promessa feita a Santo Amaro.

No domingo, 14 de Janeiro, a festa começa pelas 19h30, com a saída dos festeiros e dos rapazes solteiros em cortejo solene, rumo à capela de Santo Amaro, de onde sairá a procissão, pelas 20 horas em direcção à Igreja Matriz de Santa Cruz. Aí será celebrada a eucaristia solene da vigília desta festa.

Na segunda dia 15 de Janeiro, a missa solene da Festa de Santo Amaro, está marcada para as 14 horas, seguida de nova procissão, que levará Santo Amaro de volta à capela onde permanecerá até à próxima festa.

Já no Paul do Mar, a festa em honra do padroeiro está agendada para as 16 horas do dia 15, sendo seguida da habitual procissão, com a cadência do passo a ser marcada pela Banda Municipal do Paul do Mar.