Nos 50 anos da publicação da encíclica Populorum Progressio

20

A encíclica Populorum Progressio (O Desenvolvimento dos Povos), na qual o Papa Paulo VI (1963-1978) apresentou o desenvolvimento como “o novo nome da paz”, está a celebrar 50 anos.

Trata-se de um dos mais importantes documentos da Doutrina Social da Igreja (publicado em março de 1967), com aplicações concretas do Concílio Vaticano II.

Este aniversário está a ser assinalado um pouco por todo o mundo, com várias iniciativas a nível académico e outros, mas o importante, na opinião dos especialistas, é (re)ler esta encíclica memorável do Papa Montini, dada a sua flagrante atualidade. “É verdade que a economia passou por grande transformação nestes anos, mas as questões no centro da atenção da Populorum Progressio permanecem imperiosamente urgentes e são de impressionante atualidade, num contexto sociocultural marcado pela interdependência planetária – agravada pela globalização, pela prolongada crise económica e pelo fenômeno mais recente dos refugiados, constituindo – como reiteradas vezes denunciada pelo Papa Francisco – a maior crise migratória desde a II Guerra Mundial.”

A visão cristã do homem, em que se baseia o conteúdo desta encíclica sobre o “desenvolvimento dos povos”, afirma ainda que “a verdade do desenvolvimento consiste na sua integralidade: se não é desenvolvimento do homem todo e de todo o homem, não é verdadeiro desenvolvimento”, esta a mensagem central da Populorum Progressio, válida para todos os tempos.