Comentário à Liturgia do XXI Domingo do Tempo Comum

São Pedro - Vaticano © D.R.

Por Pe. Pedro Nóbrega

As chaves são o sinal do poder, um sinal de muito que se pode abrir e fechar, de muito que se pode fazer ou guardar, como se observa na leitura do livro de Isaías.  Esta leitura prepara-nos para compreender a linguagem do evangelho que nos fala de Pedro como Pedra e acima de tudo como aquele que tem as Chaves do Reino dos Céus.

Mas antes desta compreensão sobre as Chaves, somos convidados por Paulo a dar Graças, a dizer Glória, por tudo quanto temos e somos. E não podemos esquecer que Paulo foi alguém que teve que aprender a vida glorificando-a no meio do sofrimento, da prisão, agradecendo-a no meio da maledicência imposta por tantos que vendo a sua conversão, escarneciam dele. Isto vem mostrar-nos que o seguir a Cristo não é caminho apenas feito na alegria e saúde, mas também no meio da doença e tristeza.

Voltando ao evangelho, encontramos a profissão de fé de Pedro quando diz: “Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo!” Saibamos nós também olhar para Jesus dessa forma e compreendamos assim que o Senhor Jesus também nos convida a responder à pergunta: E tu quem dizes que Eu sou?

Rezemos neste domingo por todos os cristãos para que sejam verdadeiros homens de fé como os apóstolos, para que não tenham medo de lançar as redes pelo bem e crescimento da humanidade para Deus!