Vigário Geral apela a mais solidariedade e concórdia no dia da Cidade do Funchal

80

O vigário geral da diocese, cónego José Fiel de Sousa, expressou hoje, na homilia do Dia da Cidade do Funchal, uma mensagem de “esperança”, “concórdia”, e “prosperidade”.

Na missa celebrada na igreja do Colégio e na presença de várias entidades oficiais, o também reitor do templo fundado pelos Jesuítas no século XVII, sublinhou que a vida e o futuro da cidade dependem do “dinamismo” e da “procura constante da solidariedade, comunhão e diálogo”, em vez das diferenças de opinião ou “rivalidades”.

“Que todos nos unamos numa maior solidariedade e acolhimento, especialmente aos que têm grandes necessidades materiais e espirituais”, desejou.

“ Que tudo concorra para que a vida, o bem-estar e a relação fraterna, estejam acima das nossas rivalidades. Que a diferença de opiniões não nos separe nunca, nem a cor, nem o credo, nem a raça”, acrescentou.

Na eucaristia do 509.º aniversário da cidade do Funchal, o cónego José Fiel de Sousa refletiu também sobre as caraterísticas do exercício da cidadania e dos governantes; com base na leitura de Job e de São Tiago (Padroeiro da Cidade), disse que “muitos são os pedidos e perguntas sobre se as achegas e a melhor forma de atuar dos governantes e dos cidadãos, para que esta cidade seja exemplar e tenha mais qualidade de vida”.

Lembrou ainda, de forma especial , “todos os que foram atingidos, direta ou indiretamente”, pela tragédia do Largo da Fonte, no passado dia 15; e destacou a “confiança” manifestada em “muitos testemunhos de fé em Deus e na Virgem Maria. Rezemos por aqueles que partiram, mas que, pela comunhão dos santos, sentimos a sua presença no meio de nós. Estamos ‘online’ com eles e nunca ‘off’, porque o amor é mais forte que a morte”, disse. “Eles foram e continuam a ser, desde o céu, fonte de inspiração para a nossa cidade e para todos os cidadãos”, garantiu o vigário geral da diocese do Funchal.