Tragédia do Monte motiva onda de pesar e solidariedade

Do Papa Francisco ao cidadão comum todos mostraram a sua consternação

A tragédia que aconteceu no Monte, na passada terça-feira, que ceifou  a vida a 13 pessoas e feriu outras 49, gerou uma onda de pesar e de  solidariedade. Desde o Papa Francisco até ao mais comum dos cidadãos, foram várias as pessoas que se associaram a este momento de dor procurando, através das suas mensagens e orações, trazer algum  conforto a todos aqueles que foram diretamente afetados e a toda a  comunidade diocesana que não pode, nem fica indiferente a estes trágicos acontecimentos.

Em mensagem enviada a D. António Carrilho, através do Núncio  Apostólico em Portugal, a mensagem do Papa Francisco diz o seguinte: “Consternado pelos vários mortos e numerosos feridos da desgraça  verificada na Paróquia de Nossa Senhora do Monte, Sua Santidade o Papa  Francisco confia os irmãos falecidos ao amor misericordioso de Deus e  pede a Vossa Excelência que transmita o seu sentido pesar às  respetivas famílias enquanto assegura a sua proximidade espiritual aos  feridos e a todos os atingidos por esta tragédia implorando para eles  o apoio e a solidariedade para superarem esta prova e como penhor de  conforto concede-lhes a sua bênção Apostólica.”.

O cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, expressou também as  suas condolências às populações e famílias atingidas pela tragédia no  Largo da Fonte.Numa mensagem publicada através da sua conta oficial na rede social  ‘twitter’, e veiculada pela Ecclesia, D. Manuel Clemente, que é também  presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, pede “oração e  solidariedade para os que faleceram, os feridos e as famílias” e faz  votos de que “Deus e Nossa Senhora do Monte os guardem no Céu e na  terra”.

Açores em “comunhão na dor”

Também a diocese de Angra (Açores) uniu-se em “comunhão na dor” às comunidades da freguesia do Monte, no Funchal, depois da tragédia do  passado dia 15. Em declarações ao portal “Igreja Açores”, o bispo de  Angra, D. João Lavrador, expressa a sua solidariedade às famílias e  populações madeirenses afetadas, através de uma mensagem dirigida a D. António Carrilho, bispo do Funchal. “Em meu nome, e em nome da diocese de Angra, expresso a nossa solidariedade para com as famílias das vítimas e oferecemos as nossas orações pelos falecidos”, refere D. João Lavrador.

O prelado açoriano realça que toda a comunidade católica dos Açores  “rezará pelas vítimas mortais, para que o Senhor na sua eterna  misericórdia as receba no seu reino; pelos familiares, para que  encontrem Nele o consolo suficiente, nesta hora de dor e de  sofrimento, e pelos feridos para que recuperem a saúde e regressem a  suas casas”.

Mensagem do Bispo do Funchal e do Pároco do Monte

António Carrilho, no próprio dia da tragédia, emitiu uma nota em  que começa por dizer que “foi com grande consternação e emoção que  tomámos conhecimento da gravidade do sucedido, cancelando de imediato  a procissão e unindo-nos numa prece conjunta a Nossa Senhora do Monte, ali presente diante de nós”, convidando depois à oração: “Como Bispo  da Diocese do Funchal, convido todos os diocesanos à comunhão da  oração por todas as vítimas da tragédia, pelos feridos, pelos mortos e  suas famílias, e também por todos os envolvidos no socorro imediato  das vítimas, e manifesto a mais profunda comunhão e solidariedade com  todos, na fé e na oração da esperança.”

Por seu turno, o Pe. Giselo Andrade, pároco do Monte, em comunicado  escrito, revelou que a comunidade paroquial, “sentindo-se impotente  perante a dimensão deste acontecimento, reza pelos que faleceram”, acrescentando que “aos pés de Nossa Senhora do Monte elevamos as  nossas preces, pedindo a consolação da fé e a força da esperança para todos os que estão em sofrimento”.

Orações em Fátima e apoio da Cáritas

O Santuário de Fátima também dedicou todas as celebrações de quarta-feira passada às vítimas da tragédia ocorrida  durante as  festas em honra de Nossa Senhora do Monte. Rezou-se “pelas vítimas  mortais para que o  Senhor as receba no seu reino; pelos familiares, para que encontrem no  Senhor o consolo, nesta hora de dor, e pelos  feridos para que recuperem a saúde”, conforme disse o padre Carlos  Cabecinhas, reitor daquele Santuário.

A Cáritas Portuguesa, por seu lado, numa mensagem enviada ao bispo do  Funchal, manifestou a sua solidariedade “no âmbito da sua missão”, e  avançou que tudo fará para garantir “o apoio” às vítimas e
populações mais afetadas. “Que a todos não faltem as forças humanas e espirituais necessárias para enfrentarem as consequências de tão dramático acontecimento”, disse ainda o presidente da Cáritas  Portuguesa, Eugénio Fonseca. A “solidariedade” estende-se a todas as  famílias das vítimas, em particular às que perderam entes queridos”, para que “não lhes falte sobretudo a presença amiga das suas  comunidades cristãs e dos seus vizinhos”.

Marcelo visitou o Monte

Mas as mensagens chegaram também de outros quadrantes. No próprio dia da tragédia o primeiro-ministro António Costa, expressou as suas “condolências pelas vítimas do acidente na Madeira”, adiantando que o Governo “disponibilizou apoio médico face ao elevado número de  vítimas”, depois da queda de uma árvore.

Já o Presidente da República apresentou às famílias enlutadas as suas  “mais sentidas condolências”, tendo-se depois deslocado ao Funchal para se “inteirar de perto do ocorrido e, naturalmente, levar uma palavra de alento e conforto aos que perderam os seus entes mais queridos”.

Durante a visita, Marcelo Rebelo de Sousa esteve no Largo da Fonte. Diante do cenário onde aconteceu a tragédia, acompanhado pelo  presidente do Governo Regional e pelo Bispo do Funchal, o Presidente  da República partilhou: “Agora aqui é mais impressionante vendo o  local onde se passou e imaginando o que terá sido”, acrescentando: “há momentos que é tão impressionante a dor que esmaga tudo o resto e exige o conforto e a solidariedade”. Após a passagem pelo Monte, Marcelo Rebelo de Sousa dirigiu-se ao Hospital Dr. Nélio Mendonça.

Missa pelas vítimas no dia 22

Entretanto, no próximo dia 22 (terça-feira), a Diocese do Funchal vai  promover uma Eucaristia em Memória e Sufrágio das vítimas do Monte. A Eucaristia, agendada para 18:00 horas, na Sé, será presidida por D.  António Carrilho. A Diocese convida as autoridades civis e militares, os sacerdotes e  consagrados e todo o povo de Deus a participar ou de algum modo  associar-se a este momento de oração, de fé e de esperança.

Será um momento para pedir a Deus a Sua misericórdia para os que faleceram e a força e a esperança, de forma particular, para todas as outras vítimas, feridos e familiares.