Novenas preparam festa de Nossa Senhora do Monte

Começam hoje ao fim do dia

Iniciam-se neste sábado, dia 5 de agosto, as novenas de preparação para a festa de Nossa Senhora do Monte, novenas estas que se prolongam até dia 13. Serão celebradas na igreja paroquial do Monte a partir das 20 horas, sendo antecedidas da recitação do terço às 19h30.

As homilias serão proferidas por diversos sacerdotes, sendo que cada novena tem uma denominação e um dia próprio para acontecer. Assim, hoje, 5 de agosto, celebra-se a Novena da “Chave de Ouro”, cujo pregador será o Cón. Carlos Nunes, Reitor do Seminário Diocesano, Vigário Episcopal do Património e Pároco de Santo António. Cantada pelo Coro do Grupo de Jovens do Caniço, esta eucaristia é dedicada em particular aos paroquianos dos sítios da Igreja, Laginhas, Fonte, Tílias, Pico da Pedra e Pico.

No dia 6 de Agosto realiza-se a Novena da “Boa Esperança”, com a homilia a cargo do Pe. Isildo Silva, Pároco da Serra de Água. A animação da liturgia ficará por conta do Coro da Paróquia do Monte, sendo a missa por intenção da Paróquia do Curral dos Romeiros.

No dia seguinte terá lugar a Novena do “Bom Coração” celebrada pelos sítios da Lombada, Desterro, Confeiteira, Cancela e Babosas terá como pregador o Pe. Manuel Ornelas da Silva. Os cânticos estarão de novo a cargo do Coro da Paróquia do Monte.

A 8 de Agosto será celebrada a Novena da “Boa União”. Preside o Cónego José Fiel, Vigário Geral e Reitor da Igreja do Colégio. O Coro da paróquia da Visitação terá à sua responsabilidade de animar a liturgia dedicada aos sítios da Portada de Santo António, Lombo, Passeio e Babosas.

Novena da “Paz” vai ter lugar dia 9, sendo pregador o Pe. Carlos Almada, cuja ordenação terá lugar hoje na Sé do Funchal. O Coro da Paróquia do Monte encarregar-se-á da animação da liturgia, pela Paróquia do Livramento.
Sexta novena é a Novena dos “Emigrantes” será a 10 de Agosto. O pregador será o Pe. Marcos Pinto, Capelão da Missão Católica Portuguesa na Diocese de Westminster, em Londres. Os cânticos voltam a estar a cargo do Coro da Paróquia do Monte.

A Novena dos “Carreiros” a 11 de Agosto terá como pregador o Cónego Vítor Gomes, Pároco da Sé e Deão do Cabido da Sé. Como o próprio nome indica esta novena está a cargo dos Carreiros do Monte.

A Novena da “Boa Vontade” está agendada para o sábado, dia 12 de agosto. O pregador será o Pe. Marcos Gonçalves, Vigário Judicial, Pároco de São Martinho, Diretor do Gabinete de Informação e Diretor do Secretariado da Pastoral Vocacional. O Grupo Coral do Estreito animará a celebração pelos sítios da Levada da Corujeira, Casa Branca, Marmeleiros, Tanque, Til e Pinheiro.

A nona e última novena é a Novena da “Boa Fé”, a 13 de Agosto. O Pe. Pedro Nóbrega, Pároco da Nazaré, Assistente do Secretariado Diocesano da Pastoral Universitária, Assistente das Forças Militares (Capelão) e Pré-seminário será o pregador desta celebração que volta a ser cantada pelo Coro da Paróquia do Monte e celebrada pelos sítios: Corujeira de Dentro, Corujeira de Fora, Eira do Lombo, Porta do Rodrigo.

À festa litúrgica junta-se, em cada um destes dias, a festa popular. Cá fora, no adro e arredores a presença do povo, vindo dos quatro cantos da Madeira e não só, vai lembrando que este continua a ser um dos mais antigos e concorridos arraiais da Ilha, ou não fosse a Senhora do Monte a padroeira dos madeirenses, mesmo daqueles que emigram.

No dia 14 de agosto a missa da véspera da festa terá inicio às 21 horas, presidida pelo Pe. Giselo Andrade, pároco do Monte; e no dia 15, a festa litúrgica será celebrada às 11 horas, sendo presidida por D. António Carrilho, Bispo do Funchal.
Após a missa terá lugar a procissão. A pequenina imagem do século XV/XVI, envolvida com fios de ouro e ofertas dos peregrinos agradecidos pelas inúmeras bênçãos e graças, vai voltar a ser transportada no seu andor por membros da Confraria. A seguir o passo cadenciado do andor vão os fiéis, que todos os anos ali acorrem, prontos a mostrar que a fé pode ser o único suporte do homem, em todas as alturas da vida, sobretudo nas mais complicadas.

Mais uma vez, tanto na véspera como no dia da Festa, a pequenina imagem de Nossa Senhora desce do seu cantinho habitual até ao cruzeiro da igreja. Fica assim mais perto dos fiéis, que podem tocar no seu manto e rogar proteção para si e para os seus.

Depois de no ano passado os incêndios terem impedido a realização da festa nas suas duas vertentes – apenas a parte religiosa teve lugar – espera-se que este ano tudo decorra com normalidade e que a festa seja vivida em pleno.